Março | 2017 | Ano VIII – Edição 93 – Síndrome de Burnout: Por que está acometendo cada vez mais pessoas?

Síndrome de Burnout: Por que está acometendo cada vez mais pessoas?

MULHEREstamos iniciando o ano e muitos retornando à rotina de estudo e trabalho. Aproveitando este momento, estou trazendo um assunto muito sério que tem acometido cada vez mais brasileiros, 30% deles, segundo a ISMA (International Stress Management Association). Trata-se da Síndrome de Burnout (ou síndrome do esgotamento profissional), que é diagnosticado quando o indivíduo apresenta um alto grau de estresse relacionado ao trabalho, sentindo-se exausto, não conseguindo descansar, envolvendo desmotivação para as outras áreas da vida.

Para ele não há feriado ou férias que consiga repor toda sua energia sugada pelo ambiente de trabalho, muitas vezes, nem mesmo conseguem curtir as férias, trabalhando até mesmo durante o momento que deveria aproveitar para descansar. Acontece que ele não consegue se desligar do trabalho. Ou seja, não é um cansaço comum, é um problema sério que causa desgaste emocional, podendo gerar alguma doença orgânica, pois o seu organismo libera constantemente uma quantidade excessiva de cortisol (hormônio do estresse), afetando seu sono e alimentação, aparência física e prejudicando sua relação com os outros devido ao alto grau de irritação. E isso tudo acontece mesmo quando ele odeia o trabalho. Ele cria uma dependência do trabalho mesmo tendo consciência de que está lhe fazendo mal; apresenta alguns medos, como julgamento pelos colegas e chefe, avaliação negativa de seu desempenho, demissão. E esses medos alimentam esse ciclo vicioso.

Os sentimentos mais comuns para ele se sentir sob pressão são: o volume de trabalho, pressão por resultados, mudança (e piora) na gestão, estilo de gestão do chefe entre outros. É importante identificar o que está acontecendo. Muitos não apresentam consciência e acreditam que está tudo normal. Quem costuma perceber são familiares e amigos próximos que observam que a qualidade do relacionamento não está mais a mesma. Então, é válido nos atentarmos ao que os outros estão dizendo sobre a gente e tendo consciência do mal estar, procurar por psicoterapia e, em alguns casos mais graves, também por psiquiatra.

Na próxima coluna iremos refletir sobre o nosso contexto social e como este contribui para essa exaustão no trabalho.

Até lá!

Luana Menezes
CRP 05/39694

Espaço Transfigurar-te
Psicólogas responsáveis: Luana Menezes e Vanessa Gonçalves

Tels.: 3064.2894 | 98737.1391
Rua Dias da Cruz, 188 – Lj 239
Méier Off Shopping (Antiga Galeria Oxford)

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>