Setembro | 2017 | Ano VIII – Edição 99 – Melhore as dores dos joelhos

Melhore as dores dos joelhos

Sem título1

Determinadas regiões do corpo humano sofrem com a influência da gravidade, do sobrepeso, da má postura e inclusive da falta de tônus muscular, como exemplo os joelhos, que têm a função de fornecer estabilidade, equilíbrio, movimentação, flexibilidade e sustentação corporal.

Diversas desordens podem vir a surgir, como a condromalácea ou condropatia patelar, que acomete principalmente as mulheres. Devido à anatomia feminina ser estruturada com a parte o quadril mais inclinado lateralmente que nos homens, os joelhos tendem a ser voltados para dentro, aproximando-se um do outro.

Essa disfunção é conhecida como geno valgo (desenho de um “x” numa visualização à distância dos membros inferiores), e os pés se localizam mais à fora da linha dos joelhos. Essa desordem demora anos para se desenvolver e é caracterizada pelo amolecimento e degeneração da cartilagem que fica entre a patela (antiga rótula) e o osso do fêmur, dando perfeito deslizamento e amortecimento sobre o membro.

O problema é que quando o desgaste é aumentado com o tempo, o contato de osso com osso gera dores e diminuição da flexibilidade. Percebemos a condromalácea pela sensação de dor na frente dos joelhos, assim como estalos conforme a pessoa corre, pula, agacha, sobe e desce escada, levanta da cadeira ou permanece sentada na mesma posição por horas, como ao sair de uma sessão de cinema – fato esse que, anos atrás, deu fama ao problema de “síndrome do cinema”, todavia é hoje conhecida como “joelho de corredor”. Para tratar do problema, primeiro consulte um médico para realização de exames específicos, e depois a fim de saber se há necessidade de procedimento cirúrgico (em casos graves), fisioterapia ou intervenção do educador físico.

O tratamento é basicamente no corpo todo, com enfoque no fortalecimento da musculatura que envolve os joelhos, tornozelos, quadris e coluna vertebral. Exercícios de alongamento também se tornam fundamentais no processo de recuperação. É aconselhado evitar se sentar de pernas cruzadas ou em cima da perna com o joelho dobrado, pois acarreta num desvio ainda mais lateral desse ossinho (patela) que cobre a articulação – o que potencializa o incômodo.

O uso de salto alto também deve ser reduzido, mas caso o calçado seja muito necessário, como no trabalho, ele não pode ultrapassar os 3 cm de altura, pois se não, o centro de gravidade é projetado para frente e aí… a pressão interna no joelho é aumentada.

TRATE BEM DO SEU JOELHO!

THIAGO SOARES PERSONAL
CREF: 025751

Profissional de Educação Física

Personal Trainer, especialista em atividade física para idosos e necessidades especiais
ATENDIMENTO EM DOMICÍLIO
Doenças degenerativas/psiquiátricas/Demências
Autismo/Síndrome de Down/Cadeirante
Personal Coach (consultor de saúde e atividade física)
whatsapp-logo-icone-1 99522.8671 (TIM)
facebook:thiagosoarespersonal
E-mail: thiagosoares.vivabem@gmail.com

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>