Dezembro |2016| ano VII edição 90 – Relacionamento Tóxico

Relacionamento Tóxico

Apresentação1

No consultório, queixas diferenciadas motivam os clientes a iniciarem a terapia. Desde ansiedade excessiva à dificuldade de falar em público ou compulsões. Porém, uma dessas queixas que tem chamado atenção e quero ressaltar neste espaço se refere aos relacionamentos entre pessoas. Exemplos de pessoas que terminaram com seus companheiros, devido às oscilações de humor do parceiro; pais possessivos que interferem nos relacionamentos dos fi lhos, fazendo-os sentirem culpados por não dar a devida atenção a eles; ou amigos que sempre buscam auxílio, mas pouco estão dispostos a ouvir o outro.

Em casos assim como em outros o que está na base desses conflitos são as relações estabelecidas com as pessoas e que não são saudáveis, e sim disfuncionais, tóxicas.  Mas no que consiste uma relação tóxica? Pode ser definida como uma relação em que não há respeito nem consideração pelo companheiro, que por vezes é tratado como objeto a ser moldado. Este tipo de relação não se limita apenas a relacionamentos amorosos, mas qualquer tipo de relação em que há laço afetivo, como pais, irmãos e amigos.

Relacionamentos assim são pautados pela submissão de uma das partes a outra, de modo sutil. A pessoa que é manipulada não percebe isso no primeiro momento, até porque em geral o companheiro se porta de maneira carinhosa, cuidadosa com a pessoa em questão. Todavia, aos poucos começam as restrições tais como:
não sair com os amigos do contrário o parceiro torna-se agressivo; o filho que não sai da casa dos pais senão os mesmos adoecem por culpa dele; a amiga que não pode ter outras amizades para além da sua fi el companheira. Em resumo diferentes tipos de imposições que culminam no resultado final da anulação do indivíduo enquanto sujeito com direitos, desejos e interesses próprios.

Isso gera também sintomas físicos, pois há um estresse emocional que ocasiona fadiga, irritabilidade excessiva, ansiedade e até mesmo depressão. Qualquer indivíduo corre o risco de entrar em um relacionamento tóxico, porém aqueles que possuem baixa autoestima, insegurança, falta de confiança em si mesmo ou receio de ficar sozinho são mais suscetíveis a estarem nessa relação. Nesse sentido é de suma importância o sujeito ter consciência de si mesmo e impor limites quando necessário. Valorizar-se é essencial, pois impede que a pessoa se submeta a quaisquer tipos de condições mesmo aquelas que são prejudiciais. E caso seja necessário busque ajuda profissional.

PSICOLOGIA CLINICA
Bruna Dionísio Manoel
Terapeuta Cognitiva Comportamental
CRP: 05/42604

Rua Lucídio Lago, 96 – SI 505 – Méier
Rua Conde do Bomfim, 310 – Cobertura 01 – Tijuca
TEl: 21 96904-1589 / 96752-9941
www.brunamanoel.com
E-mail: psicologiabruna24@gmail.com

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>