Julho|2016| ano VII edição 85 – Pilates e o Diabetes

Pilates e o Diabetes

Fui diagnosticado como portador de Diabetes tipo II, e agora o que eu faço?

É o que muitos pacientes vêm me questionar, e esperam de mim um caminho milagroso, uma receita de chá ou que eu insira alguns pontos de acupuntura e consiga com isso equilibrar seus níveis glicêmicos. Infelizmente isto nunca acontece, e se por um acaso o paciente cai nas graças dos contos populares ele acaba postergando sua melhora ou estabilização do quadro. O caminho para o bem estar físico é bem mais simples do que todas as receitas que poderiam ser passadas e é tão antigo quanto o banho de sol (que é um excelente remédio, mas isto deixaremos para outra matéria) e tão moderno quanto as mais recentes descobertas da medicina. Basta simplesmente manter constantemente a tríade da boa alimentação, bom sono e atividade física regular.

Woman working out with an exercise ball

Woman working out with an exercise ball

A boa alimentação é indiscutível, nela encontramos todos os elementos necessários para o nosso corpo encontrar o equilíbrio. Durante o sono, nosso corpo se recupera do dia, regula os hormônios e se regenera de qualquer lesão ou desgaste. Mas, e a atividade física? Entendemos como atividade física tudo aquilo que mexe com o corpo. Correr, caminhar, jogar bola, exercícios respiratórios, exercícios de força, para ganhar massa, resistência, equilíbrio, em fi m, existem várias opções. Mas, e se existisse uma opção que trouxesse todos estes atributos e além disto fosse adaptável para qualquer idade e condição física?

O Pilates possui uma metodologia única onde conseguimos todos estes atributos e ainda prevenimos lesões, pois prima pelo fortalecimento da musculatura estabilizadora do corpo, pela boa postura e pelo trabalho respiratório conjugado. Mas, qual seria a atuação sobre o Diabetes Mellitus tipo II? Na Diabetes temos uma deficiência, baixa produção ou resistência periférica à insulina que está diretamente relacionada com a quebra da glicose para a produção de energia celular, levando assim a uma alta da glicose (hiperglicemia). Esta alta da glicose pode em médio espaço de tempo levar a uma série de complicações como o ganho de peso, infartos, alterações vasculares e nervosas. O Pilates entra como método de intervenção, já que consegue estimular a necessidade celular por energia, facilitando a diminuição da resistência à insulina, induz a quebra da gordura facilitando a perda de peso e o controle da pressão arterial e além disso é uma ferramenta de socialização já que na maioria das vezes as aulas são coletivas e ao mesmo tempo com grupos reduzidos, permitindo que a pessoa receba a atenção necessária para a prática adequada da atividade e ao mesmo tempo faça amizade e socialize. Desta forma estimula o aluno de forma física e emocional.

Com certeza o acompanhamento do médico e do nutricionista são fundamentais, outras terapias como a Acupuntura e a Fitoterapia são ótimas. Mas, a atividade física é indispensável, e como o Pilates consegue trabalhar diversos grupamentos de forma tão eficiente e segura, acaba se tornando a ferramenta ideal para auxiliar no controle glicêmico.

FAÇA PILATES!

Bruno Chaves Limoeiro
CREFITO-80186F

Acupuntura, Pilates, Fisioterapia, Estética, RPG, Shiatsu
Rua Carolina Méier – 38, Sl 302 -Méier
Tel.: 3477-6908 / 98382-1872

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>