Novembro/2019 | Ano X – Edição 125 – Inaugurado o Marco da Maçonaria no Méier

Inaugurado o Marco da Maçonaria no Méier

MASSOM

O marco, localizado na Praça Agripino Grieco – Bairro do Méier, inaugurado às 10 horas do dia 27 de outubro de 2019, refere-se à Loja Maçônica Cayrú, 762, uma associação civil sem fins lucrativos ou econômicos, qualificada como de interesse público, pessoa jurídica de direito privado. Foi a primeira Loja Maçônica a se instalar no bairro do Méier. Desde a sua Fundação em 15 de setembro de 1901, tem sede própria situada no número 16 sobrado da rua Ana Barbosa. Conhecida como Cayrú do Méier. Foi civilmente constituída em 20 de outubro de 1901, data da aprovação do primeiro estatuto registrado. Tem como Patrono Henrique Valladares eminente cidadão e um dos maiores maçons que o Brasil já teve.

A Loja Cayrú inclui-se no sistema federado adotado pelo Grande Oriente do Brasil e está jurisdicionada ao então Grande Oriente do Brasil no Estado do Rio de Janeiro (GOERJ), hoje Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro (GOB-RJ). Através de sua existência, sempre, esteve inserida na sociedade brasileira e do bairro do Méier. Podemos exemplificar, entre outros, que em 1915, participou da campanha em benefício dos vitimados pela seca do Norte do Brasil. Em 1918, colocou à disposição do governo seu prédio para que ali fosse instalado um hospital destinado a atender os atingidos pela Gripe Espanhola. Em 1923, interferiu no Congresso Nacional quando da apreciação do Projeto de Lei Contra a Imprensa. Em 1935, a Loja criou uma Caixa de Socorros Sociais destinada a socorrer em primeiro lugar viúvas desamparadas com filhos menores. Em 1942, esteve envolvida com a questão “Flagelados do Nordeste”. Em 1943, contribuiu com o esforço do governo brasileiro adquirindo “Bônus de Guerra”. Em 1967, fez doação de máquina de costura ao Instituto Conselheiro Macedo Soares. Em 1979, esteve envolvida com a “Campanha da Amazônia” e na doação de um equipo dentário destinado ao Instituto Conselheiro Macedo Soares. Em 1984, cedeu o seu Templo para a filmagem de parte da vida de D. Pedro. Em 1996, pelo Decreto nº 15.059 de 23 de agosto foi considerada Utilidade Pública.

A inauguração do Marco contou com a presença de Autoridades Maçônicas, Militares, Civis, de Maçons representando Lojas do Município do Rio de Janeiro e do público presente naquela Área de Lazer. Registrese que a musicalidade da “Brazilian Piers Banda” – banda de gaitas de fole – (http://brazilianpiper.com. br/) sob a “batuta” do Maestro João Paulo, apresentou ao público diversas músicas escocesas e brasileiras. De tudo o que foi, resumidamente, exposto acreditamos que o MARCO MAÇÔNICO – materializará a existência da “Loja Cayrú” que nos seus 118 anos de existência representa uma forma alternativa de sociabilidade e socorro à comunidade. Seus Membros desde a Fundação andam de mãos dadas com o progresso do Méier e do Brasil, têm participado de vários movimentos sociais. É bem verdade que já não têm a força representativa social e política do passado… Os tempos mudaram… Mas, não podemos negar que a Loja Cayrú (http://www.cayru. com.br) armazena um acervo de integridade histórica, sintetizada na confiança do existir e na coragem de ser impregnada de valores que estabeleceram parâmetros. Tudo isto, nos conduz, indubitavelmente, a uma profunda reflexão sobre a atualidade e o futuro que a aguarda. Registre-se que por ocasião do Centenário foi lançado o livro – “100 anos de Glórias do Grande Arquiteto do Universo” – que registra o seu caminhar (edição esgotada). A Loja Cayrú é verbete na Wikipédia.

O ontem é história. O amanhã é mistério. O hoje é uma dádiva

Texto e Fotografias: Elvandro Burity

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>