Março | 2018 | Ano IX – Edição 105 – Novas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimulam o parto normal

Novas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimulam o parto normal

No Brasil, Hospital Pasteur é destaque em programa que visa reduzir cesarianas sem indicação clínica

No último mês, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu novos padrões globais de atendimento às mulheres grávidas, com o objetivo de reduzir o uso desnecessário de algumas intervenções médicas, como a cesárea. Entre 56 recomendações pautadas na medicina baseada em evidências, a entidade propõe, por exemplo, que as mulheres tenham mais tempo para dar à luz sem serem induzidas artificialmente ao parto e que participem mais ativamente das decisões nesse momento tão importante da chegada do bebê.

Resultado da imagem para gravida

A adoção de métodos de relaxamento muscular, como música ambiente, técnicas de respiração, massagem e aplicação de bolsas de água quente, faz parte das novas indicações da OMS. No Hospital Pasteur, referência de maternidade na Zona Norte do Rio, com 190 partos por mês, técnicas de relaxamento já são utilizadas. “A estrutura da unidade foi pensada para dar todo o suporte necessário à gestante nesse momento de grande ansiedade. Para isso, a humanização no atendimento é uma das nossas premissas. Contamos com salas onde as pacientes podem se preparar para a chegada do bebê, na companhia de um familiar e com o suporte de uma equipe multidisciplinar, composta por obstetra, enfermeiro, pediatra, fonoaudióloga e nutricionista. No local, comodidades como ducha morna e exercícios com bolas de pilates podem ser utilizadas quando solicitadas pela mãe – conforme recomenda a OMS”, explica Rogério Reis, diretor executivo do hospital.

O Hospital Pasteur dispõe, ainda, de equipe de obstetras de plantão 24 horas, que acompanham todo o processo do trabalho de parto. Duas vezes por mês, também oferece cursos gratuitos, ministrados por uma equipe formada por pediatra, obstetra, anestesista e enfermeira. No encontro, são abordados temas como amamentação, anestesia durante o parto e cuidados com o recém-nascido. Para ajudar na escolha da unidade hospitalar, as gestantes também podem fazer uma visita guiada ao trajeto que percorrem no hospital durante o processo de parto, que inclui as salas PPP (pré, per e pós-parto), acomodações e berçário.

Essas e outras medidas levaram o Pasteur a ser escolhido como um dos multiplicadores do projeto Parto Adequado, dando exemplos práticos a outras unidades de saúde sobre quais soluções podem ser aplicadas para a redução dos índices de cesárea sem indicação clínica. Esse é um dos principais objetivos do projeto, que, até maio de 2019, passa por sua segunda fase, da qual participam 136 hospitais e 68 operadoras de saúde de todo o país. Na primeira fase, que durou 18 meses, os hospitais participantes protagonizaram a criação de um novo modelo de assistência materno-infantil para o Brasil e evitaram a realização de 10 mil cesarianas desnecessárias.

O projeto Parto Adequado foi desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), com o apoio do Ministério da Saúde e em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e o Institute for Healthcare Improvement (IHI). De acordo com a ANS, “a iniciativa visa também oferecer às mulheres e aos bebês o cuidado certo, na hora certa, ao longo da gestação, durante todo o trabalho de parto e no pós-parto, considerando a estrutura e o preparo da equipe multiprofissional, a medicina baseada em evidências e as condições socioculturais e afetivas da gestante e da família”.

Hospital Pasteur 
Av. Amaro Cavalcanti, 495 – Méier
Tel.: (21) 2104-4400
www.hospitalpasteur.com.br 

Fonte: Assessoria de Imprensa Hospital Pasteur

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>