Março | 2018 | Ano IX – Edição 105 – A vilã dos relacionamentos

A vilã dos relacionamentos

Tânia Carla

Tânia Carla

É comum ouvir de muitas pessoas que “sofrer não é um bom sinal16”, e não é mesmo. Mas, esse sofrimento é opcional. Sabemos que não é fácil lidar com pessoas difíceis, pessoas que te humilham, ridicularizam, inferiorizam, criticam, rejeitam, caluniam, enfim… que te fazem mal. Seja o relacionamento amoroso, social ou familiar que vai mal, o chefe que faz a maior pressão no trabalho ou aquele problema que você tenta resolver há meses te tiram o sono? Uma das consequências imediatas é a mágoa. Já que, na maioria das vezes, você não pode fazer nada contra a pessoa, a única coisa que te resta é guardar rancor contra ela…

É preciso trabalhar esses sentimentos acumulados dentro de si, nosso organismo não foi feito para guardar mágoas e sentimentos ruins. Tanto o corpo quanto a mente vão pesando na medida em que eles se acumulam e uma hora o copo cheio transborda na tentativa de aliviar o sofrimento. O grande problema é que na hora da explosão, a pessoa se sente tão sufocada que sai atirando para todos os lados magoando as pessoas que estão ao seu redor sem perceber. É preciso tempo e paciência para aprender a lidar com os sentimentos sem ferir as pessoas e nem a si mesmo.

Assim como com as lesões sofridas no corpo, repetidas vezes no mesmo lugar, também o ressentimento pode causar sérios problemas a quem se permite assim continuar ao agasalhar a mágoa na alma por muito tempo.

Estocar mágoas e sofrimentos faz mal para a saúde e para o coração. A mágoa vai minando a alegria, o entusiasmo, a esperança, e a amargura se instala. Silenciosa, ela compromete a saúde de quem a mantém, desencadeia uma série de transtornos emocionais, aonde vamos dando a ela uma conotação negativa maior do que de fato deveria ter, sufocamos nossos limites emocionais e daí aparece os sintomas físicos. Todos nós criamos expectativas sobre a vida e toleramos até certo limite algumas frustrações. Quando elas extrapolam este limite, que é pessoal, e nos fazem sofrer, significa que algo está em desequilíbrio e é preciso resolver. O problema é que a maioria das pessoas acha que resolver os ressentimentos é resolver com o outro aquilo que está pendente, o que deve ser feito mesmo, é entender o que te de fato te fez mal e porque ganhou tamanha dimensão na sua vida.

Extravasar sim! Magoar não. Para evitar que isso aconteça e te ajudar a extravasar, busque uma ajuda!

Pense nisso e não permita que esses “tóxicos” se instalem em seu coração.

Cuide-se!

Se necessário, procure um psicólogo!

Tania Carla Pereira
CRP 05/16585
Especialista em Psicologa e Terapeuta Cognitivo-Comportamental
www.taniacarla.com.br
contato@taniacarla.com.br

Tel: 99888-4338 / 97016-0886 / 3585-1672
Rua Dias da Cruz 155  – Sl 513 – Méier/RJ

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>