Maio | 2018 | Ano IX – Edição 107 – A Pneumonia nos Idosos

A Pneumonia nos Idosos

Sem título

A pneumonia significa uma inflamação aguda no parênquima pulmonar, causada por agentes bacterianos, fúngicos, viróticos, químicos ou físicos. Caracteriza-se como uma das principais causas de internação hospitalar, em todo o mundo, sendo que no Brasil ela representa a quarta causa de hospitalização em idosos.

Com as constantes e imprevistas mudanças climáticas, é preciso redobrar a atenção com a saúde. Por terem uma defesa imunológica mais enfraquecida, um simples resfriado mal curado pode agravar-se e gerar uma pneumonia nos nossos queridos idosos. A incidência de pneumonias, nessa faixa etária, aumenta durante os surtos de gripe, o que leva a um maior número de internações, por isso a importância da vacinação da população idosa.

São vários os fatores sugeridos como associados à maior ocorrência de pneumonia em idosos. Em primeiro lugar, sabe-se que a própria idade superior a 65 anos aumenta o risco de pneumonia, independente de outros fatores. Aumentam o risco dessa infecção: a presença de outras doenças associadas, como diabetes, hipertensão, insuficiência cardíaca, asma. Destacamos a maior presença de bactérias na cavidade oral, e a ocorrência mais frequente de aspirações do conteúdo da cavidade oral, ou seja, esse conteúdo, que contém bactérias, acaba sendo levado para os pulmões. Ausência de uma tosse eficaz, como um papel importante na defesa dos pulmões contra as infecções associada a uma postura inadequada e o uso de medicamentos para dormir, o que facilita a ocorrência de aspirações. A presença de ambientes mal ventilados e/ou com temperaturas baixas também são fatores que podem contribuir para a ocorrência da doença.

Um dos aspectos mais importantes relacionados à pneumonia refere-se aos sintomas que o indivíduo apresenta. Isso porque o quadro clínico da pneumonia pode ser completamente diferente daquele apresentado pelos jovens. Essa peculiaridade pode dificultar um pouco o diagnóstico da infecção, retardando o início do tratamento. Nos idosos, os sintomas como febre, tosse e falta de ar são bem menos frequentes, e mesmo a radiografia do tórax pode mostrar poucas alterações. Dessa forma, vemos que o diagnóstico de pneumonia no idoso exige que se tenha um alto nível de suspeita. Todo idoso que apresenta alteração aguda do estado mental ou outros sintomas gerais (que não indicam uma doença específica) deve ser pesquisado para a presença de pneumonia.

O tratamento da pneumonia pode ser feito em casa ou no hospital, dependendo do quadro clínico. É imperiosa uma avaliação médica e os fatores de risco que indicam uma maior gravidade do quadro, principalmente se o paciente apresenta alguma descompensação de outra doença crônica. Em alguns casos é necessária a internação em CTI. O uso de antibióticos de sempre ser considerado e deve ser iniciado o mais precocemente possível. De maneira geral, não está indicado o uso de xaropes contra a tosse, pois como já comentamos, a tosse é um mecanismo protetor dos pulmões.

A prevenção da pneumonia nos idosos é um tema de extrema importância em saúde pública. As principais medidas que auxiliam a reduzir a ocorrência da doença são: a vacina contra a gripe (doses anuais), a vacina contra o pneumococo (bactéria que mais frequentemente causa pneumonia em idosos fora do hospital) e a realização de boa higiene oral, posicionamento correto no leito (se possível com a cabeceira elevada, especialmente durante as refeições), manutenção de bom estado nutricional, controle adequado das doenças crônicas concomitantes, realização de fisioterapia motora e respiratória (nos casos indicados).

Hospital Pasteur 
Av. Amaro Cavalcanti, 495 – Méier
Informações.: (21) 2104-4400
www.hospitalpasteur.com.br

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>