Maio | 2017 | Ano VIII – Edição 95 – Conheça em quais situações a cirurgia bariátrica é indicada

Conheça em quais situações a cirurgia bariátrica é indicada

Hospital Pasteur é referência na realização da cirurgia no Rio de Janeiro

Lançamento_EnredoUma pesquisa do Ministério da Saúde, divulgada em abril, revelou que a taxa de obesidade no Brasil subiu 60% em apenas dez anos, acompanhada de um crescimento de 61% de incidência do diabetes e de 14% nos diagnósticos de hipertensão. Apontada como um dos tratamentos mais efetivos contra a obesidade, a cirurgia bariátrica tem sido cada vez mais realizada no Brasil, chegando a mais de 100 mil procedimentos em 2016 – aumento de 7,5% em comparação com o ano anterior, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

Esses dados posicionam o Brasil como o segundo país do mundo em número de cirurgias bariátricas, com as mulheres representando 76% dos pacientes. Na Zona Norte do Rio de Janeiro, o procedimento é oferecido pelo Hospital Pasteur, no Méier, que realiza, atualmente, cerca de 90 cirurgias por mês. A recomendação para a cirurgia é baseada no índice de massa corporal (IMC) – que é uma relação entre o peso e o quadrado da altura. São indicados para a cirurgia pacientes com IMC maior que 35 kg/m² (quadro considerado como obesidade grau 2) e com comorbidades, além de pacientes com IMC maior ou igual a 40 kg/m² (quadro conhecido como obesidade grau 3 ou obesidade mórbida).

É o que explica Luiz Alfredo Vieira d’Almeida, cirurgião e coordenador do Centro de Excelência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Hospital Pasteur: “A obesidade mórbida é uma doença grave, que traz como consequência o aparecimento de doenças como hipertensão arterial, resistência insulínica, diabetes tipo II, aumento do colesterol e dos triglicerídeos e apneia do sono, podendo levar à diminuição da longevidade, com morte precoce. Hoje, há um consenso de que o melhor tratamento do paciente obeso mórbido é a cirurgia, que tem o objetivo de regularizar as alterações em sua sinalização hormonal, que são prejudiciais à saúde”.

O médico informa que a expectativa após a cirurgia é que, em dois anos, se emagreça em torno de 40% do seu peso inicial. Hospital Pasteur é referência na realização da cirurgia no Rio de Janeiro Mas é importante que haja cumplicidade, entendimento e adesão dos pacientes, para que sejam obtidos bons resultados. Isso engloba os corretos preparos pré e pós-operatório, com acompanhamento de equipe multidisciplinar composta por clínico, nutricionista e psicóloga. Atualmente, estão disponíveis no Brasil dois métodos cirúrgicos. “Um deles é a gastroplastia redutora em Y de Roux, que consiste em reduzir drasticamente o estômago e excluir o duodeno e o início do jejuno. Como resultado, há a normalização da sinalização hormonal e, na maioria das vezes, cura ou melhora substancial das comorbidades.

O outro procedimento é a gastrectomia vertical, que consiste na ressecção da grande curvatura do estômago – ou seja, ele fica na forma de um tubo e mantém o trato digestivo intacto, com menor potência metabólica”, esclarece o especialista, acrescentando que a escolha do método dependerá de avaliação médica.

Hospital Pasteur
Av. Amaro Cavalcanti, 495 – Méier
Tel.: (21) 2104-4400
www.hospitalpasteur.com.br 

Foto: Ubirajara Chaves
Fonte: Assessoria de Imprensa Hospital Pasteur

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>