Agosto|2016| ano VII edição 86 – Especialista do Hospital Pasteur fala sobre a importância do aleitamento materno

Especialista do Hospital Pasteur fala sobre a importância do aleitamento materno

No mês da amamentação, obstetra oferece informações sobre a nutrição mais indicada para os recém-nascidos

Apresentação1O mês de agosto é marcado pela celebração da Semana Mundial de Aleitamento Materno, que ocorre em 120 países, anualmente. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a amamentação, isoladamente, é a estratégia de maior impacto capaz de salvar a vida de cerca de 13% das crianças menores de cinco anos, por causas preveníveis em todo o mundo. Por isso, neste mês, diversas ações são realizadas com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para a importância do tema.

Para explicar um pouco mais sobre os benefícios da primeira alimentação dos bebês, o médico Mário de Barros, obstetra do Hospital Pasteur, comenta a diferença da amamentação após o parto natural e a cesárea,
além das principais características do leite materno.
Jornal Novidades – A Organização  Mundial da Saúde preconiza que a primeira mamada ocorra logo na primeira hora de vida do bebê. Quais os motivos dessa orientação? Mário de Barros – Além de proporcionar maior interação entre os recém-nascidos e as mães nos primeiros minutos de vida, esse contato é importante para estabelecer o vínculo e beneficiar a criança com a proteção do leite materno.

JN – O bebê ter nascido de parto normal ou por cesariana faz alguma diferença para a amamentação?
MB – Quando a cesariana ocorre com a mulher estando em trabalho de parto, não há diferença na liberação do leite em relação ao parto natural, uma vez que o estímulo de liberação hormonal está completo.

Ao contrário do que algumas pessoas acreditam não se pode afirmar que as mães que têm seus fi lhos por cesariana ficam mais cansadas e demoram mais a se recuperar para poder amamentar. Só há diferença quando a cesariana é praticada em fetos prematuros. O importante é a harmonização entre a liberação hormonal e a descida do leite, facilitando a primeira mamada.

JN – A cesariana impede a descida do leite?
MB – Somente quando a cesariana é realizada fora da cronologia do parto, ou seja, quando ocorre em período de prematuridade, por indicação clínica ou por equívoco no cálculo da idade gestacional.

No mês da amamentação, obstetra oferece informações sobre a nutrição mais indicada para os recém-nascidos.

JN – Por qual razão o leite materno é tão importante?
MB – O leite materno é um alimento completo, que contém vitaminas, minerais, gorduras, açúcares e proteínas – todos apropriados para o organismo do bebê. Possui, ainda, muitas substâncias nutritivas e importantes para a defesa do organismo do recém-nascido, que não são encontradas no leite de vaca e em nenhum outro tipo. O leite materno é adequado, equilibrado e sufi ciente para a criança. Trata-se de um alimento ideal, especialmente por ser de melhor digestão.

JN – Protege contra doenças?
MB – Sim. É um alimento rico em substâncias que podem evitar doenças como diarreia (que pode causar desidratação e desnutrição), pneumonia, infecção de ouvido e alergias, além de muitos outros problemas.

JN – Existe diferença de leite? Fraco ou forte?
MB – Não há leite forte ou fraco.
Existem diferenças na quantidade que a mãe produz, o que, normalmente, aumenta progressivamente. O importante é a disposição da mãe em oferecer o seio ao filho, pois o contato da boca do bebê com os mamilos ajuda a estimular a produção e a liberação do leite.

JN – Durante o período de amamentação é possível engravidar?

MB – A prolactina, que é o hormônio responsável pela produção do leite, bloqueia a ovulação. Por outro lado, quando a dosagem dele não está em equilíbrio – quando o aleitamento não é o único método de alimentação ou pelo fato de a mulher já ter menstruado –, a segurança anticoncepcional não é alta. Nesses casos, é recomendado utilizar métodos anticoncepcionais orais, exclusivamente com progesterona.  Entre os mais seguros – e o de maior indicação, por não interferir no peso da paciente – é o DIU de progesterona. Também recomendamos DIU de cobre, uso de preservativo, implantes subcutâneos e os injetáveis de progesterona.

JN – Deve-se amamentar o bebê em intervalos de tempo predefinidos?
MB – Atualmente, é defendida a chamada “livre demanda”, ou seja, oferecer o leite materno sempre que o bebê demonstrar que está com fome.

Hospital Pasteur
Av. Amaro Cavalcanti, 495 – Méier
Tel.: (21) 2104-4400
www.hospitalpasteur.com.br 

Foto: Ubirajara Chaves
Fonte: Assessoria de Imprensa Hospital Pasteur

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>