Fevereiro | 2019 | Ano X – Edição 116 – O que muda quando envelhecemos (Parte 4)

O que muda quando envelhecemos

(Parte 4)

Thiago COLOR

Antigamente, lá pelos anos dourados, na década de 50, em que as guerras mundiais tinham se acabado, era de costume vestir roupas bem quentes, como jaqueta de couro e calça comprida, por influência da cultura rock and roll e twist dos Estados Unidos, país cujo Brasil apoiou no pós-guerra, deixando a União Soviética de lado.

Embora naquela época as pessoas pegassem mais sol, elas usavam roupas que dificultavam o contato solar, o que era uma pena, já que não estavam confinadas em seus domicílios e inteiradas na tecnologia, como hoje em dia, contradizendo-se mais uma vez, pois apesar de usarmos roupas mais leves, fresquinhas, não se é tão aproveitado o banho de sol, podendo acarretar em deficiência de vitamina D.

Uma curiosidade é que a vitamina D ajuda na regulação do humor, então quando a temos em menor quantidade no organismo, tendemos a ficar de mau humor, irritadiços, impacientes, ansiosos e deprimidos. A sua deficiência leva à diminuição do cálcio e do fósforo no sangue, dor e fraqueza nos músculos, além de problemas articulares, como joelhos, coluna, quadris, etc.

A privação do sol possibilita o surgimento da osteoporose, uma doença comum em pessoas acima dos 50 anos, principalmente mulheres após a menopausa, pois nessa fase diminuem-se os níveis do hormônio estrogênio, que antes atuava como protetor do sistema muscular e ósseo. Reduzido, ele favorece o enfraquecimento e redução da massa dos ossos e músculos. Negros parecem ter menor incidência de osteoporose, e inclusive jovens podem possuir a doença.

Interessante saber que a musculatura é ligada ao osso pelos tendões, que liberam cálcio no seu interior, a partir dos movimentos físicos, em destaque os que envolvam força, como segurar, puxar, empurrar ou levantar objetos mais pesados. Por isso a musculação, variados tipos de ginástica, Pilates, artes marciais e até natação e hidro, favorecem a prevenção ou recuperação da osteoporose. Exercícios de leve a moderado impacto, como caminhada, corrida, dança e descer degraus da escada também são benéficos, pelo estímulo à calcificação óssea. Já existem casos de regressão da doença para um nível anterior, a osteopenia ou completa cura, por meio de orientações de seu profissional de Educação Física, junto de medicações prescritas pelo médico.

Te aguardo na próxima coluna e o assunto será surpresa desta vez. Legal!

QUINZE MINUTOS DE SOL MUDA UMA VIDA!

THIAGO SOARES PERSONAL
CREF: 025751

Profissional de Educação Física

Personal Trainer, especialista em atividade física para idosos e necessidades especiais
ATENDIMENTO EM DOMICÍLIO
Doenças degenerativas/psiquiátricas/Demências
Autismo/Síndrome de Down/Cadeirante
Personal Coach (consultor de saúde e atividade física)
whatsapp-logo-icone-1 99522.8671 (TIM)
facebook:thiagosoarespersonal
E-mail: thiagosoares.vivabem@gmail.com

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>