Agosto|2016| ano VII edição 86 – As emoções ao longo da vida

As emoções ao longo da vida

Neste espaço gostaria de falar sobre o papel das emoções ao longo da vida do sujeito. Algumas são mais agradáveis e confortáveis da pessoa sentir enquanto outras geram uma sensação maior de desconforto. No entanto, elas são necessárias ao longo do desenvolvimento do indivíduo para compreender a si mesmo e aquilo que acontece a sua volta. As quatro emoções básicas são: Alegria, Medo, Tristeza e Raiva.

Apresentação1A alegria serve para estabelecer vínculos com outras pessoas, confere estado de serenidade e satisfação e estimula a cooperação entre os sujeitos.

O medo serve para advertir sobre os perigos, avaliar o evento em si e percebê-lo como uma possível ameaça ou não. A partir disso, o sujeito evita a situação ou desenvolve estratégias para lidar com ela de maneira mais eficaz. É uma forma de proteção mediante a possibilidade de perigo.

A raiva serve para descarregar um peso extra que a pessoa sente. Em excesso ela pode ser prejudicial, porém é muito útil em situações que a pessoa se sente injustiçada e pode servir como fator motivador, desde que na dose certa.

Por fi m, a tristeza. Tão negligenciada nos tempos atuais em que não se pode ficar triste nunca, do contrário tornasse
imprescindível a medicação para por um fi m nisso.

Ela é fundamental, pois permite o vínculo com pessoas importantes afetivamente. Serve para tornar o sujeito mais consciente da situação, pois nos momentos tristes é comum a pessoa refletir sobre atitudes, pessoas e eventos. Para além dessas funções, as emoções são importantes em termos biológicos, pois induzem alterações corporais  e na fisiologia do corpo, exemplo a alegria que aumenta a secreção de endorfi nas, substâncias que atinge o cérebro proporcionando bem-estar. A nível psicológico, pois afetam as funções cognitivas como memória, pensamento, raciocínio e linguagem.

A nível social infl uencia nas interações entre as pessoas, o desempenho profi ssional e estilo de vida que a pessoa adota. Ao longo da minha trajetória no consultório e no acompanhamento dos pacientes em hospitais, observo que o cliente a fi m de se encaixar em uma situação ou evitar um possível sofrimento, às vezes o sujeito tenta suprimir essas emoções, principalmente as “negativas” por acreditar ser mais saudável. Com o tempo observa-se que isso se torna disfuncional e prejudica a vida do sujeito. Um dos objetivos da terapia reside justamente em permitir que o cliente expresse suas emoções em vez de negá-las, de modo que ele possa experienciar o fenômeno da maneira como ele se apresenta.

A medida que ele desenvolve essa habilidade isso o ajuda a gerenciar melhor as suas atitudes, conflitos e situações estressantes no sentido de promover mudanças significativas. Como dito anteriormente não há problema em sentir, a dificuldade está em canalizar essa emoção de maneira produtiva mesmo que a princípio ela pareça ruim. A Psicoterapia serve para auxiliar o cliente nesse processo.

PSICOLOGIA CLINICA
Bruna Dionísio Manoel
Terapeuta Cognitiva Comportamental
CRP: 05/42604

Rua Lucídio Lago, 96 – SI 505 – Méier
Rua Conde do Bomfim, 310 – Cobertura 01 – Tijuca
TEl: 21 96904-1589 / 96752-9941
www.brunamanoel.com
E-mail: psicologiabruna24@gmail.com

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>