Abril | 2017 | Ano VIII – Edição 94 – MANHÃ DE OUTONO

MANHÃ DE OUTONO

Sem título

Numa manhã como esta
eu fui feliz…
Manhãs de outono,
frescas e claras,
manhãs de abril.

Em que espaço infinito ficou suspenso
o instantâneo daquela manhã
que hoje revivi na memória?

Quem há de partilhar contigo
esta brisa, esta luz,
esta orgia de azul?

Não! Por certo, como eu,
tu não estás sozinho…
Numa manhã como esta,
quem ouvirá de ti
as juras que murmuraste,
em êxtase, aos meus ouvidos?

Distante de mim mesma,
minh’alma há de seguir teus passos.
E a tu’alma, distraída,
nem há de ouvi-la sussurrando,
em meio à brisa que te acaricia,
estes versos que fiz pensando em ti…

Sonia Brandão Sonia Brandão nasceu e foi criada no Grande Méier. Foi professora de colégios da região, dentre eles, Metropolitano e EDUCO. É professora e jornalista aposentada e escritora. Tem cinco obras publicadas: “Meu coração Vagabundo”, “Soninha Sapeca”, “É a Vovozinha!”, “O Essencial” e “Vivi o Amor”.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>